Aws4 request&x amz signedheaders=host&x amz signature=06ab03f0d9540e2f90438f210b3393e11a6c2c68ebc241cec5e272ae08e60621

Manejo de solo

WTT - World-Transforming Technologies

Manejo de solo

Clock
17 Dias restantes
Etapa 1 de 2
Encerramento 2018-11-02
Cup
Mixtos

O desafio
Manejo de solo
Antecedentes
A proposta de implantação de sistemas agroecológicos baseia-se sobretudo no manejo correto do solo e na manutenção da diversidade, ou seja, na existência de um variado número de seres vivos, sejam plantas, insetos, fungos, bactérias, dentre outros, que resultem no equilíbrio do ambiente onde estão localizados. Na implantação dos consórcios agroecológicos com algodão o Esplar preconiza o uso de técnicas de conservação do solo e da água, como o plantio em nível, aplicação de esterco animal e cobertura morta de acordo com as disponibilidades locais, e o plantio de leguminosas no consórcio, como o guandu e outras que incrementem a biologia do solo. Essas técnicas são transmitidas aos agricultores/as em oficinas de formação e visitas de intercâmbio com outros agricultores/as que já adotam tais práticas há mais tempo, com o intuito de demonstrarem sua exequibilidade.
Problemática
Ainda assim, desafios relacionados ao manejo do solo permanecem. O solo utilizado para a produção dos consórcios é caracterizado como pouco profundo, pedregoso, e em grande parte aparentemente pouco fértil. A região do Inhamuns/Crateús apresenta condições de restrição hídrica e salinidade no solo. Podem também ser observados solos bastante erodidos, rasos e sujeitos a erosão, possibilitando a evolução para desertificação.
Necessidade do desafio
Diante disso, buscamos conhecer experiências, técnicas e metodologias de sucesso para manejo do solo no contexto do semiárido brasileiro, em particular aquelas acessíveis às condições físicas e financeiras dos agricultores da região (frequentemente idosos e em grande parte mulheres).
Material de apoio
Não há material de apoio disponível para este desafio.
Outras informações
exemplos: boas práticas, processos e metodologias de cobertura, adubagem e conservação dos diferentes tipos de solo; práticas que diminuam o trabalho braçal no manejo do solo; entre outros.